MÃE (Martha Medeiros)

Vamos esclarecer alguns pontos sobre mães,ok?


Desconstruir alguns mitos.


Não, não precisa se preocupar.


Não é nada ofensivo, eu também sou mãe...e avó!


Vamos lá:

MÃE É MÃE: mentira !!!


Mãe foi mãe, mas já faz um tempão!


Agora mãe é um monte de coisas: é atleta, atriz, é superstar.


Mãe agora é pediatra, psicóloga, motorista.


Também é cozinheira e lavadeira.


Pode ser política, até ditadora, não tem outro jeito.


Mãe às vezes também é pai.


Sustenta a casa, toma conta de tudo, está jogando um bolão.


Mãe pode ser irmã: empresta roupa, vai a shows de rock pra desespero de algumas filhas, entra na briga por um namorado.


Mãe é avó (oba, esse é o meu departamento!): moderníssima, antenadíssima, não fica mais em cadeira de balanço, se quiser também namora, trabalha, adora dançar.


Mãe pode ser destaque de escola de samba, guarda de trânsito, campeã de aeróbica, mergulhadora.


Só não é santa, a não ser que você acredite em milagres.


Mãe já foi mãe, agora é mãe também.



MÃE É UMA SÓ: mentira !!!


Sabe por quê?


Claro que sabe!


Toda criança tem uma avó que participa, dá colo, está lá quando é preciso.


De certa forma, tem duas mães.


Tem aquela moça, a babá, que mima, brinca, cuida.


Uma mãe de reserva, que fica no banco, mas tem seus dias de titular.


E outras mulheres que prestam uma ajuda valiosa.


Uma médica que salva uma vida, uma fisioterapeuta que corrige uma deficiência, uma advogada que liberta um inocente, todas são um pouco mães.


Até a maga do feminismo, Camille Paglia, que só conheceu instinto maternal por fotografia, admitiu uma vez que lecionar não deixa de ser uma forma de exercer a maternidade.


O certo então, seria dizer: mãe, todos têm pelo menos uma.


SER MÃE é PADECER NO PARAÍSO: mentira!


Que paraíso, cara-pálida?


Paraíso é o Taiti, paraíso é a Grécia, é Bora-Bora, onde crianças não entram.


Cara,estamos falando da vida real, que é ótima muitas vezes, e aborrecida outras tantas, vamos combinar.


Quanto a padecer, é bobagem.


Tem coisas muito piores do que acordar de madrugada no inverno pra amamentar o bebê, trocar a fralda e fazer arrotar.


Por exemplo?


Ficar de madrugada esperando o filho ou filha adolescente voltar da festa na casa de um amigo que você nunca ouviu falar, num sítio que você não tem a mínima idéia de onde fica.


Aí a barra é pesada, pode crer...


MATERNIDADE é A MISSÃO DE TODA MULHER: mentira !!!


Maternidade não é serviço militar obrigatório!


Deus nos deu um útero mas o diabo nos deu poder de escolha.


Como já disse o Vinicius: filhos, melhor não tê-los, mas se não tê-los, como sabê-lo?


Vinicius era homem e tinha as mesmas dúvidas.


Não tê-los não é o problema, o problema é descartar essa experiência.


Como eu preferi não deixar nada pendente pra a próxima encarnação, vivi e estou vivendo tudo o que eu acho que vale a pena nesta vida mesmo, que é pequena mas tem bastante espaço.


Mas acredito piamente que uma mulher pode perfeitamente ser feliz sem filhos, assim como uma mãe padrão, dessas que têm umas seis crianças na barra da saia, pode ser feliz sem nunca ter conhecido Paris, sem nunca ter mergulhado no Caribe, sem nunca ter lido um poema de Fernando Pessoa.


É difícil, mas acontece.


MAMÃE, EU QUERO: verdade!


Você pode não querer ser uma, mas não conheço ninguém que não queira a sua.

8 pitaco(s):

gisele.artes disse...

Adorei!adorei!!! Super desconstruida essa MÃE!! hehehe
bjos, gi

Patricia Lins disse...

Uhu! Blog de cara nova! Continua lindo! Parabéns! Ah, o texto da Martha Medeiros, para variar, é ma-ra-vi-lho-so! Fora que verdadeiro, honesto e direto! Olha, acho que descontruir uma mãe é construir o que é ser "mãe na prática"!

Beijos, Pat.

Julianna , mãe da Alice disse...

Adorei o texto. Espetáculo! E o que tem de gente sendo mãe, sem ser... E o monte de filho querendo uma mãe, e mulheres achando que não podem ter filhos, que nunca viram a fila dos que querem uma mãe. Afff!!! Oh mundo! Mas, estamos nele e vamos tentando.
Bjão!

Chris Ferreira disse...

Ingrid,
simplesmente AMEI.
Adorei todas as desconstruções. É isso mesmo.
Ótimo, ótimo, mil vezes ótimo.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Ana - Viajar é tudibom! disse...

Oi Ingrid!
Adorei o poema, mãe é tudo isso e muito mais, é complicado, serviço árduo e bemmm cansativo, é sim! mas vale muitooo á pena não é?

Bjos e uma ótima semana pra família.

Patrícia Viale disse...

Ingrid, passa lá no Universo e vê a última postagem!!! beijos

Ju Dalzoto disse...

Ótimo texto!!!! Amei reler!
É perfeito neh?!

Bjokas e um ótimo domingo!!!

Mamãe caprichosa disse...

Olá!! Um sarro seu texto!!! Desconstruiu e desglamourizou (nossa, inventei uma palavra) a maternidade!!! É sim muito difícil, mas extremamente prazeroso ser mãe. Não sei se vc viu o Manifesto a favor da Maternidade que está rolando na internet. eu postei lá no meu blog!! dá uma olhadinha!
Bjs
Carla

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...