Blogagem Coletiva alheia: sentimentos, emoções - INVEJA ou QUEBRANTO

Hoje me deparei com vários posts sobre um tema que nos pertence. Todos nós, humanos, padecemos da vontade de ter coisas, embora nem sempre tenhamos condições, capacidade, garra ou talento para adquiri-las. Até aí, tudo bem, todo mundo sabe que o sol nasce pra todos, mas que tem vezes em que "não é pra ser" é a frase que nos faz ficar resignados. Ou não.



Pois bem, quando meus piás nasceram, como seria de se esperar, me deparava com algumas situações novas como aqueles momentos em que os bebês choraaaaavam, mas choraaaavaaaam pra caramba e eu nem tinha idéia do que seria, apesar de continuar na luta pra descobrir e acabar com o desconforto que sentiam.

Quando a coisa demorava a se resolver, a preocupação naturalmente aumentava e começava a pensar no que poderia acontecer. Não tinha dúvida: recorria às (mães) mais experientes. Pedir ajuda é bom.
Mas quando algo acontece e ninguém tem explicação lógica, especialmente se tratando de crianças, é impressionante como o mundo sobrenatural é invocado, né? Vamos recorrer à simpatia, ao santo da moda (Expedito, Desatadora dos Nós), à benzedeira, enfim, algo que consiga aplacar a angústia de  ver um bebê e seu choro estridente atravessarem as noites sem solução. - Lembrem, eu vivi noites de terror quando coloquei o Caio na escolinha!
Aí vem a palavra que resume tudo: quebranto (ou quebrante)! - Bom, e o que é isso, pergunto eu?!

Já tentaram me explicar, mas mesmo sem saber direito do que se tratava, minha sogra disse, inclusive que a MÃE COLOCA QUEBRANTE no filho. Peraí, como coloco em alguém algo que nem sei o que é?! Como posso fazer mal a quem tanto amo?



Fora a vontade de afogar na valeta quem te diz isso e não soluciona o caso, eu levei o pequeno ao centro espírita (e à benzedeira também, que nessa hora jogamos em todas as posições!), onde me ajudaram bastante a acalmar o bichinho. 

E agora, passada mas não encerrada a fase de desajustes energéticos da minha gurizada, ficou a dúvida: que raios significa o tal do quebrante?

Vou atrás de conversar, ler e conseguir tentar resumir o que talvez muitas de vocês, amigas que compartilham desse universo das lendas e mitologias que invadem a vida dos nossos filhos, fiquem pensando como eu: que raios é essa coisa? Vim a descobrir que quebrante nada mais é o que a MATERIALIZAÇÃO DA INVEJA.
Isso mesmo! Um olho gordo/grande tão poderoso que chega a fazer adoecer quem é vítima da cobiça alheia. Uma casa bacana, uma oportunidade no emprego, uma festa de aniversário supimpa, tudo isso pode gerar sentimentos de frutração somados à incapacidade de conquistar tudo isso e ainda mais: se é um sentimento arrebatador a ponto de fazer adoecer quem te olha ressentido, pode fazer murchar como uma flor aquele que é invejado... E isso fica muito evidente em situações tais como: noivados, casamentos, nascimentos, batizados...  "O invejoso, em vez de sentir prazer com o que possui, sofre com o que os outros têm" (Bertrand Russell). - Por que ela casou com essa pessoa tão legal ? Por que eu não tenho um filhinho assim? Como eu gostaria de viver essa felicidade!!!

Sim, quem coloca quebrante não suporta ver a celebração da felicidade alheia. Fulmina (dizem que) até sem saber que estão maltratando espiritualmente seus entes queridos ou não. E aí ver uma criança saudável, cheia de inocência, de saúde, chegando ao seu lar pra que a vida continue seu ciclo pode fazer com que toda a carga negativa de sentimentos de um invejoso seja  descarregada em justamente quem não sabe se defender.

Ora, pois! Não é que faz sentido?! - ENTENDAM, não acho que faça sentido que uma mãe prejudique seu filho com o amor que sente e coloque quebrante na criança!!!! E, sim, que uma criança ou mesmo uma pessoa adulta seja atingida pela força do olhar dos outros.

Por isso se colocam terços, anjos, luz azul, fitas coloridas tudo ao redor do berço de uma criança recém nascida e, dizem também, deveríamos continuar fazendo isso enquanto essa criança cresce, pra que floresça sem a interferência de espíritos que vampirizam, sejam eles encarnados ou não. - Quem não conhece alguém assim?!

Portanto, caras amigas, mesmo sem crer em bolas de cristal e amuletos, creio que o pensamento, a oração, a fé e alguns procedimentos fazem toda a diferença. Não vivo para me proteger da inveja, nem supersticiosa, não sou esquizofrênica paranóica (que tem mania de perseguição), só bipolar mesmo. Mas um incenso aceso de vez em quando pra harmonizar e até uma defumação na casa rola quando sinto que há visitas que deixam uma vibração diferente por aqui. O idela seria que nem viessem com essa carga, né, mas dizem que tem gente que faz isso sem nem ter consciência.

Mais do que qualquer coisa, a nossa proteção mental e espiritual é o pensamento voltado para o bem, desejando e emanando vibrações positivas. Isso é o que faz a diferença na hora em que podemos ser influenciados ou influenciar qualquer ambiente e as pessoas que nele se encontram. E aí o quebrante não tem espaço! 

P.S.: se um ser humano é capaz de tornar poderoso através do pensamento algo negativo, imagino que ("sendo Deus por nós, quem será contra?") materializar o pensamento positivo em gestos de bondade seja uma capacidade que a gente tenha, né?!



8 pitaco(s):

Geovana disse...

oi flor nossa que post hein, sai pra la olho gordo hehehe..é verdade, as pessoas estao cada vez mais desejando coisas dos outros, so pensar em ter e não dar...
Sobre o quebrante, a minha sogra disse a mesma coisa, a Mariana, tinha a mania de dormir de olho quase aberto nossa eu não podia com aquilo, benzi muito ela,ate que passou hehehe...mas como uma mae que ama tanto seu filho vai fazer isso, eu nao entendo, mas é o que os antigos dizem né, fazer o que , benzer hehehe...bjs!!!

Geovana disse...

Ah adorei o post sobre o Casamento, tudo ali é fato hehehe....

Glorinha L de Lion disse...

Oi Ingrid, só me explica uma coisa: como uma mãe pode colocar esse troço aí que vc falou no próprio filho? me desculpe, mas não acredito nessas coisas não. Como dizem por aí, se amuleto e mandinga ganhasse jogo, os times da Bahia seriam os melhores do mundo.
Somos energia sim, temos os dois lados, todos nós temos. Cabe a nós canlizar da melhor forma, mas daí a acreditar nesses troços, nisso não acredito mesmo...bj. Bem vinda à blogagem.

orvalho do ceu disse...

Olá,
A VERDADE nos liberta...
Tenhamos ótimo dia e reflexão com essa sugestão da Glorinha!
Abraços fraternais e serenidade para discernir...

Desconstruindo a Mãe disse...

OI, gurias!

Não acredito que mãe emita vibes negativas para o próprio filho, muito pelo contrário!!!

Justamente por isso fui atrás de tentar saber o que significa o tal do quebrante, porque não acredito mesmo que quem ame uma pessoa possa prejudicá-la.

Acredito, sim, em pessoas com uma vibração ruim, um olhar invejoso sobre a vida dos outros e que possa até atingir alguém.

E é por isso que achei interessante abordar a idéia de que a inveja é um sentimento que só ganha força e nos atinge quando damos espaço pra isso.

Talvez não tenha me expressado da melhor forma, mas é verdade que quando as pessoas estão mais vulneráveis recorrem à superstição. Como uma bengala, se apóiam nisso e acho que não resolve.

O que resolve, nisso eu creio, é pensar e agir em torno do BEM. Ter fé é mais forte do que ter amuletos.

Abraços a todas!
Ingrid

Macá disse...

Olá Ingrid
A inveja é um mal poderoso, é uma doença, e o invejoso sofre muito com isso.
um beijo

Mamma Mini disse...

Que coisa menina, eu também acredito super em energia, e acho que ás vezes elas se desestabilizam sim.... e tem gente que tem um poder "ruim" sobre as pessoas, mas também acredito no poder do "bem" que a gente tem e na força que precisamos diariamente nos concentrar e fazer para que nada disso "pegue" na gente.... um beijo!

Marliborges disse...

Olá Ingrid,
Só agora consegui chegar por aqui e ler o post da inveja. E adorei, superesclarecedor! Concordo com a definição de Zuenir, também penso assim sobre a inveja. Mas você vai ver por aí, (aliás, já deve ter visto muito), na blogosfera, as confusões a respeito desses conceitos. O tal "quebrante", me criei ouvindo sobre. Mas não sei se é por aí... Será mesmo que as mães botam quebrantes? Acho que não.
Meu pensamento sobre inveja está resumido no meu post.

Amei o seu blog. E agora vou aproveitar para dar uma "passeada" por aqui e ler um pouco. Tem muita coisa que me interessa pois tenho dois netinhos. Beijo amiga.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...