Há tempo pra tudo?

Faz um bom tempo que não posto. Inicialmente porque queria pensar sobre o tema e ver qual seria a repercussão do meu último texto... E foi excelente

Me colocar no lugar de outra pessoa foi um exercício interessante. Não apenas no sentido de levantar a bandeira dos portadores de necessidades especiais, tema com que convivo desde a infância, com meu irmão apresentando distrofia muscular. Mas porque a gente costuma viver tão cheio de certezas e no ritmo de vida que nos impomos ou pelo qual nos deixamos levar, que tendemos a ficar sempre a favor de nós mesmos e achando que "são só 5 minutinhos" quando temos pressa e estacionamos nos lugares proibidos ou preferenciais, quando achamos que nossa urgência é maior que a dos outros... enfim...

Passados alguns dias, aconteceu algo inesperado: no dia 13/5 um grande amigo foi assaltado e baleado. Esse amigo é realmente grande, em estatura e tamanho de coração, em generosidade, em capacidade de batalhar belo bem da família, sendo o mais velho de 3 irmãos.
Esse amigo eu não via fazia tanto tempo... acho que o vi e sentamos para conversar animadamente pela última vez há 12 anos, perto de casar no religioso. Nos encontramos no pátio da igreja onde costumávamos cantar ao som do violão, onde organizávamos gincanas e almoços, de onde partíamos para acampamentos, onde vivemos em grupo muitas coisas saudáveis e que se tornaram base para quem sou hoje.

Desde 2007 vivia me prometendo que iria rever esse amigo, assim como os demais, de quem sentia muita falta. Dei alguns telefonemas, sempre dizíamos "precisamos marcar", "vamos combinar", "pega aí meu telefone". E o tempo se passou sem que eu concretizasse aquelas palavras.

No final de 2009, como algumas de vocês sabem, perdi um dos amigos desse grupo, em um acidente de automóvel. Nos reunimos, sim, num sentimento de profunda tristeza, de pesar, com uma dor imensa e que nos fez prometer, mais uma vez, que faríamos diferente.

O tempo passou, já faz ano e meio. E agora nos deparamos com a violência nos fazendo reunir e repensar nossos passos.

O grupo trocou e-mails e telefonemas para se comunicar, para unir esforços, pensamentos positivos, torcer para que ele sobrevivesse a perfurações em dois pulmões. Justo com ele, com o amigão, o que é como um irmão mais velho e que consegue manter um pequeno grupo ainda unido... Muitas perguntas vieram à mente de todos.

Mas dessa vez, felizmente, estamos conseguindo ver que não podemos ficar calados e acovardados diante da injustiça, da violência. Unimos esforços para que o nosso amigo, que agora já saiu da UTI e tem até perspectiva de alta, tenha uma adaptação à nova realidade, pois sua medula também foi atingida e ele passará a usar cadeira de rodas. São mutirões, orações, conversas, organização de rifas e almoços para arrecadar fundos e nos fortalecermos na fé de que as dificuldades serão superadas. De que ele não está sozinho.

Nesse momento consigo pensar que, sim, nós conseguimos ter tempo para muitas coisas. Há tempo para plantar, colher, abraçar, amar, ligar para os amigos, mas a gente se acomoda. Ou coloca outras coisas como prioridade. Mas nós podemos mudar essa realidade, sem precisar que um ato extremo nos sacuda e atinja nossas consciências...

Nunca essa canção que gostava de ouvir desde criança se fez tão oportuna:





10 pitaco(s):

Tuka Siqueira disse...

Oi Ingrid, muito bom esse post. Que bom que seu amigo está vivo e vivo ele pode se adaptar e viver uma vida plena se tiver sempre a ajuda de quem o ama, como os bons amigos. Também vivo me perguntando o porque de não priorizarmos esses encontros e reencontros e só achamos tempo pra eles quando já não há mais tempo. Uma boa reflexão, espero que surta efeito. Ao menos em mim. Abraços

Dani disse...

Ingrid, acredita que ontem mesmo estava pensando em vc? Estava me perguntando se eu a seguia mesmo, pois há muito não via nada do blog atualizado...

Eu amo essa música.
E passo muito tempo pensando que o tempo que temos pra sermos felizes é o hoje, o agora. Não adianta programar a felicidade pra daqui a uma semana, um mês, um ano....afinal, num átimo de segundo tudo pode mudar.

Esse homem deve ser feliz por ter amigos como vc! Que a adaptação dele se dê da melhor maneira e que no coração dele não tenha espaço pra mágoas e que ele aprenda um novo jeito pra viver e ser feliz.

Beijo

Cristiane disse...

Querida, desde o momento em que recebi seu e-mail o nome dele passou a fazer parte de minhas orações noturnas, sei que isso é muito pouco, mas acredito que a fé move montanhas. Sobre tempo x amigos, tenha a impressão que estamos tão absorvidos no EU (eu e minha família) que o nós (eu e as pessoas que gosto e que fizeram parte de minha vida) às vezes fica esquecido. Está semana recebi um telefonema de parente informando o falecimento de um tio. Não consegui me deslocar de POA par ir ao enterro de alguém que não via fazia anos (fiquei me perguntando, para que??) deveria ter ido visitar enquanto vivo, agora... não adianta mais. Então resolvi fazer uma lista das pessoas que quero voltar a procurar, e imagina ...ela está crescendo. espero conseguir realizar este meu projeto "Resgate aos amigos e familiares". Beijos e muita fé neste momento

Desconstruindo a Mãe disse...

Gurias,

Nunc auma oração é um ato pequeno; tenho certeza de que a legião que está formada desde que nós comunicamos aos amigos a situação do Marcelão está gerando vida.

Sim, porque ele chegou ao hospital com 5% de capacidade respiratória e agora tem perspectiva de sair do hospital!!!

E refletirmos sobre como organizamos (ou não!) e distribuimos nosso tempo me parece uma forma interessante de começar uma mudança das grandes!

Beijos!
Ingrid

+1 disse...

Ingrid,

parece que de vez em quando a vida dá um saculejão na gente e nos faz refletir e ver as coisas importantes que temos por perto e que deixamos de cuidar... sim, tem tempo pra tudo, e falta de tempo não pode ser desculpa, ando pensando muito nisso ultimamente...

um beijo
Ju

Chris Ferreira disse...

Oi Ingrid,
ótimo o texto.
Muitas vezes cedemos a correria do dia a dia e esquecemos de priorizar o que realmente tem valor. Esquecemos de suprir as necessidade mais fundamentais para nossa vida comoamizade, família, alma.
O seu texto é bom para dar uma sacudida antes de um saculejo maior.
Muita oração pelo Marcelao.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com

Mari Hart disse...

Own querida... que bom que ele saiu da UTI, é um ótimo sinal!

Essas reflexões sempre são válidas, a começar a valorizar o que temos e somos e não só o que alemjamos. A vida nos prega peças e é preciso estar preparado para as adversidades muitas vezes dilaceradoras.

Beijo pra vcs e muita força pro Marcelo!

Nine disse...

Oi Ingrid!
Que oisa isso de nunca encontrarmos tempo para o que queremos fazer, né? Ainda mais rever amigos queridos!

Essa de "precisamos marcar", ou "vamos combinar alguma coisa um dia desses"...ai, nunca dá em nada né?

Temos que valorizar as boas coisas da vida, e o contato com amigos queridos é uma delas!

Obrigada pela oportunidade de reflexão. Fprça para seu amigo!

Beijos,
Nine

MÃE DO GUI disse...

Ingrid,

A música é linda e o post mais ainda!
vamos orar pelo seu amigo, pela violência desse mundo que estamos deixando afinal para os nossos filhos!!!

Bjo Jana

Mãe Mochileira, Filho Malinha.. disse...

Olá! me arrepiei inteira com seu post, do inicio ao fim e ao ouvir a musica mais ainda...Que a recuperação do seu amigo seja otima,e que benção que ele tem amigos,que assim como vc,fazem a diferença na vida de alguem!Nunca esqueci sobre uma vez que escutei em uma reunião no centro perguntaram pq certas coisas aconteciam com boas pessoas e nunca mais me esqueci da resposta: "pq elas são as pessoas que mais saberão como levar isso da forma mais branda e suave,ensinado coisas positivas aos que estão ao seu redor e propagando cada vez mais valores positivos..."

Beijos enormes em vc e no seu amigo!! ;-)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...