"Onde está a mãe dessa guria"?

Ontem fui cuidar um pouco da aparência, porque só da alma não dá. Fui ao salão de beleza e lá sempre tem um rádio e/ou uma TVzinha ligada e acabo sabendo também do noticiário extraoficial do bairro. Pois o burburinho estava enorme; conforme noticiado em todos os meios de comunicação, foi cumprida a ordem de apreensão de materiais com pornografia e maus tratos de crianças e adolescentes em vários estados do nosso país. Infelizmente, muitas fitas, CDs e DVDs foram encontrados num apartamento vizinho e, num desses boatos que depois virou notícia, parece que tinha uma história de adolescentes brincando de se alguém perdesse uma aposta, teria de "pagar"uma prenda sexual ao vencedor.


Dizia a história que depois vi no noticiário, que tratava-se de um rapazinho de 16 anos e uma jovenzinha de 14 que estavam diante duma webcam e suas peripécias estavam disponíveis para quem acessasse algum site.


Vem agora a pergunta do apresentador local: - Onde está a mãe dessa guria?
Pode até ser um questionamento inicial, que eu ampliaria para: - a família dos adolescentes sabe onde eles andam, com quem e o que estão fazendo? Eles orientam, educam ou se interessam pela rotina dos dois, ou acreditam que à 01h30min da manhã eles estão dormindo na casa de amigos?


Não consigo deixar de pensar em pais que conheci e que sim, eram participantes ativos e muito interessados pela vida e as amizades de suas crias, mas que volta e meia eram enganados pelos filhos, que combinavam de dizer que estavam num local, indo imediatamente para outro após os pais confirmarem sua presença ou os levarem até a casa dos ditos amigos.


Orientação faz diferença, com certeza. Vejo isso no comportamento dos meus sobrinhos. São adolescentes que dialogam com seus pais e gostam de estar na sua presença, de viajar e participar de programas familiares, ainda que tenham muitos convites de amigos e participem de sua rede social, seja escolar ou não.


Mas nem sempre o cuidado, o carinho e o diálogo são suficientes... E aí, como agir?


Ouvi falar muitas coisas preconceituosas, como por exemplo"só podem ser filhos de pais separados" (os exibicionistas da webcam), ou que "esse mundo está perdido" ou "ela deve ter sido enganada pelo menino" - será? 

Acho que a impulsividade, a curiosidade e o interesse pelo sexo é natural em adolescentes e isso independe de gênero. Assim como a inteligência para armar esse encontro e exibi-lo, pelo acesso à tecnologia. Assim como também percebo toda uma valorização da erotização muito precoce em materiais culturais, como programas de TV, músicas e publicações. E as crianças pequenas, se não selecionamos, acabam tendo contato e achando que é normal agir como adolescentes, que não são!


Fiquei sabendo já faz algum tempo que há uma "brincadeira" chamada sexting, que poderíamos resumir como mensagens via telefone móvel como mensagens de teor sexual, como fotos de partes íntimas ou vídeos, como forma de atrair as pessoas por queme stão interessadas.


Além do estímulo à pornografia infantil, soube que essas mensagens levam à competição para ver quem tem mais acessos, quem é a pessoa mais ousada, mais bonita, sensual etc.


Me preocupa muito tudo isso e acredito que a melhor forma de lidar com tudo isso é dar limites em outros aspectos, não apenas de presentear crianças com celulares e computadores, e dialogar bastante e francamente com os filhos...Acho que exemplos familiares de casais que se tratam com carinho e se preservam ajudam pra caramba também. E fico torcendo para que eles entendam o recado e façam da sua vida sexual algo saudável e privado, tratado com respeito e responsabilidade consigo e com o/a parceiro/a.

Ouvi de uma amiga um comentário que achei bem bacana. A filha dela tem 13 anos e disse que um colega aproveitou o recreio na escola para participar de uma rodinha onde estam mais ou menos umas 7 meninas. Algumas haviam dado os primeiros beijos, outras ainda não. E o menino chegou dizendo que queria brincar de ser a Hebe (apresentadora de TV, famosa por dar "selinhos" em seus convidados para o programa). E que saiu distribuindo bitocas, ao que ela e uma colega teriam se afastado.

Quando a mãe perguntou o que a levou a se retirar da brincadeira proposta pelo amigo, ela disse: - Não quero que meu primeiro beijo seja algo coletivo, banal. Quero que seja um momento meu e de alguém especial.


Ao ouvir isso, fiquei feliz, pensando que sim, há como a educação fazer diferença.


O que vocês acham disso tudo?



10 pitaco(s):

Vanessa Caubianco disse...

Eu acho que a gente deve conversar abertamente com nossos filhos, explicando os perigos disso tudo. É difícil...
bjbj pra vcs
mamydegemeos.blogspot.com

Nutrição e Cia disse...

Olá Ingred sou a sua mais nova seguidora e já dei uma passadinha por aqui, se tiver um tempo de um pulo lá no meu cantinho também. Um abraço e se quiser poderás me seguir.

Tati Pastorello disse...

OI Ingrid, adorei o tema da sua postagem, apesar de não ter acompanhado o noticiário. Penso em todas estas coisas. Fico me lembrando dos meus pais, da maneira como agiam quando eu era adolescente, o que foi bom e o que foi ruim, para tentar acertar o passo com o Bê. Parece que falta muito, mas é daqui a pouco. E aí? Como será? O exemplo é importante, mas não é tudo. Diálogo é fundamental, mas não o falso diálogo, tipo: você TEM que me contar as coisas. Acho que conquistar a confiança e o respeito de nossos filhos é um passo a passo, e vem desde o berço.
Tomara que a gente acerte, o que não quer dizer que eles nunca farão travessuras, que não nos contarão... O grupo influencia demais na adolescência, e quem escolhe os amigos são eles, não nós.
Rezar também ajuda!! hehehe
Beijos.

Kah disse...

É um assunto MUITO complicado.

Não faz muito tempo que eu tinha 14 anos, por exemplo, então lembro bem como era. Minha mãe sempre conversou bastante comigo sobre tudo, e nunca tivemos problemas quanto a isso. Só que tinham amigas minhas que os pais não eram tão abertos, então elas buscavam informações com os amigos, só que os amigos nem sempre são a melhor fonte de informação (aliás, raramente são).

Outras vezes a pressão que os 'amigos' fazem induz o adolescente a fazer algo que ele não quer.

Uma coisa que acho errada, mas entendo, é culpar os meninos pelos atos das meninas. Enfim, o post já está gigante...

Beijos e esse assunto rende! Mas informação é sempre importante!

Micheli disse...

Oi, Ingrid!
Realmente esse é um tema muito difícil. Os pais hj tem cada dia menos tempos com os filhos, não conversam, delegam a educação para a escola. E o resultado é isso aí... Falta orientação, falta temor com as consequencias...
Não basta ser pai e mãe e achar que pagar escola, comprar roupas já basta. Educar e criar um filho é muito além disso...
Adorei o post.
Um beijo!
Mi
http://tagarelicesepensamentos.blogspot.com/

Geovana centeno disse...

oi querida foi a primeira vez que vim aqui no teu blog, gostei muito, to te seguindo e volto mais vezes, tambem sou gaucha, mãe e tbm me preocupo muito sobre esse tipo de assunto ultimamente, essa onda de pedofilia tira meu sono, sabe que eu e meu marido desistimos da van por causa disso, nos viramos nos 30 pra levar nosso filho na escola e buscar...acho que não é culpa de pai e nem mãe, porque muitas vezes os pais explicam e explicam e eles fazem coisas erradas mesmo assim, acho que a gente como mãe deve fiscalizar mais, não pensar em dar tanto bem material e deixar o lado de cuidar e ensinar de lado, acho que a sociedade hoje, pensa mais em bens materiais no que antes,la em casa, era só o meu pai que trabalhava, nos eramos 5 filhos e ninguem passava fome, é o meu pensar, claro que cada um pensa do jeito que quer...
acho que falei demais hehehe....beijinhos!

Carol Garcia disse...

Tema complicadíssimo,
mas como em tudo, a boa conversa, a educação e manter as crianças abertas a discutir e questionar em casa assuntos como esse são de extrema importância.
final de semana, minha cunhada que tem filhota adolescente disse várias vezes que "tal fulano não tem pai nem mãe" diante das atitudes impensadas dos jovenzinhos.
taí, em resumo. a responsabilidade é nossa.
bjocas

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil! - disse...

VejaBlog
Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil!
http://www.vejablog.com.br

Parabéns pelo seu Blog!!!

Você está fazendo parte da maior e melhor
seleção de Blogs/Sites do País!!!
- Só Sites e Blogs Premiados -
Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
os melhores e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!

O seu link encontra-se no item: Blog

http://www.vejablog.com.br/blog

- Os links encontram-se rigorosamente
em ordem alfabética -

Pegue nosso selo em:
http://www.vejablog.com.br/selo


Um forte abraço,
Dário Dutra

http://www.vejablog.com.br
....................................................................

Allan disse...

com certeza a educação faz toda a diferença!

Criação de sites

Anônimo disse...

que pena que eu não sei onde me escrever mais vou comtinuar temtando .. itau feito para nos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...