"Levar felicidade traz felicidade" - blogagem coletiva: emoções e sentimentos

Hoje estou tentando adiantar a postagem da Blogagem Coletiva de amanhã, já que será véspera de feriadão e pegaremos a estrada, como todos os brasileiros desejam fazer. E aí que o tema é felicidade... Algo tão almejado por todos os seres humanos e tão difícil de definir, a não ser sentindo!

Tenho cada vez mais certeza de que a felicidade está no que é mais simples e que nem sempre o dinheiro ajuda a conquistar:

Furacão de Fraldas e Beiçola: meus filhos!
  • O sorriso sincero de uma criança - SE FOR DOS FILHOS, NÃO TEM COMPARAÇÃO;
  • Cheirar o pescoço dos meus filhos; 
  • Abraçar meus cachorros (Patrick e Bob Esponja)!!!
  • O olhar de cumplicidade entre pessoas que se amam, não interessando a idade nem o tipo de amor que sentem uma pela outra (vale filho, mãe, pai, irmão, amigos...)
  • Sair de mãos dadas com meu marido;
  • Fazer aqueles 5 minutos de conchinha antes de dormir... porque depois eu me remexo muito!!!
  • Saúde,  sempre!
  • Uma conversa animada com meu irmão, como a que tivemos hoje;
  • Patrick
  • Um dia ensolarado, céu sem nuvens...    
  • Um abraço de urso num dia difícil;
  • Uma pausa para orar e agradecer pelo dia (tem dias que nem 'tchum' e dormimos exaustos, não é verdade?);
  • Uma mensagem de alguém que não vemos faz tempo;
  • Pegar uma fotografia só pra matar saudades ou dar umas risadas, porque temos histórias pra contar. 


Bob Esponja



Filhos unidos: tem coisa melhor?

E por aí vai... 



Só que tem uma coisa que me traz uma felicidade que não é instantânea, mas construída aos poucos, que é a caridade. Nunca chamei antes por esse nome, nem sei se existe um nome correto pra isso.

Desde bem pequena me vejo envolvida com pessoas. Não importa a idade, o tamanho, o credo, a raça, a condição financeira... E estar entre pessoas geralmente me faz bem. Mas me faz imensamente sentir melhor quando estamos interagindo sem desejo que não seja o de trocar carinhos ou uma boa conversa, espontânea, interessada, olho no olho.

Já aconteceu com estranhos, na espera pela condução; num asilo e também em casas que acolhem crianças órfãs ou cujos pais estão impedidos de participar de suas vidas por diversos motivos. 

Me dá a sensação de desapego, de abandono do olhar pro umbigo. E cresce a vontade de continuar investindo em relacionamento. Em gente. Em ser mais humana. Em conseguir me colocar no lugar do outro.

Estamos num momento em que ter tempo pra si, prum minuto de silêncio que seja, é algo raro; quanto mais poder pensar no outro... Mas ver e ouvir o outro é ainda mais complicado. E gosto de saber que em mim existe essa capacidade. 

Imagem tirada de: http://www.planetaeducacao.com.br

Tem uma campanha do governo do estado que tem como lema algo em que eu acredito muito (sem nenhuma conotação partidária): "levar felicidade traz felicidade".

17 pitaco(s):

O Burro que chora disse...

Receber comentário no blog é também uma felicidade...
http://burrochora.blogspot.com/2010/09/so-1-vai.html

orvalho do ceu disse...

Olá, amiga querida
Quanta FELIICIDADE:
sorriso de criança... pescocinho cheiroso... OLHAR DE CUMPLICIDADE... sair de mãos dadas... saúde... conversa animada... dia ensolarado... ABRAÇO DE URSO... mensagem esperada... fotografias...
Hum!
Bjs felizes.

Glorinha L de Lion disse...

Muito legal isso Ingrid, é uma coisa que eu gostaria muito de fazer é trabalho voluntário, por enquanto vários impedimentos não me possibilitam isso, mas um dia sei que farei algo ligado a isso. Acho que devemos ficar ainda, mais felizes fazendo esse tipo de caridade que no final reverte para nós mesmos não é?

António Rosa disse...

Achei fantástica a sua ideia. As suas imagens são mesmo profundas.

Abraço.

António

Juliana Dalzoto disse...

Belo post, Ingrid!!!
Quanta inspiração :)

Primeiro, adorei aquela de andar de mãos dadas com o marido! Tb fiquei feliz da vida quando isso acontece, coisa bem simples, mas que depois que o Lucas nasceu, ficou bte distante... quanto acontece então, é uma felicidade só :)

Depois, a respeito da caridade, do se envolver com as pessoas, achei maravihoso o modo como vc abordou o tema! Me vi ali, em suas palavras, mas confesso que em outro período da minha vida... hoje já não sou assim, ou melhor, ainda sou, mas não estou conseguindo praticar as coisas que penso, a não ser, é claro, naqueles pequenos exemplos que vc citou. Mas sinto que poderia fazer mais, queria fazer mais, mas ao mesmo tempo, vou deixando o tempo passar... vá entender.

Bem, desejo um ótimo feriadão pra vcs!!! Boa viagem e curtam bte!!!
Nós ficaremos por aqui mesmo, nada de viajar. Então, se por um acaso subirem à serra, apareça ;)

Beijocas
Ju

Tati Pastorello disse...

Oi Ingrid, sempre que me envolvo em trabalho voluntário me sinto muito feliz. É real! Neste momento não estamos conseguindo. Há fases em que os horários apertam e não conseguimos conciliar. Torço para retornar em breve. Enquanto isso, a caridade que me resta é essa que você citou: ser cortês, gentil, generosa com as pessoas com quem cruzo no caminho. Grande sacada!
Agora, dei gargalhadas nesta parte:
"Fazer aqueles 5 minutos de conchinha antes de dormir... porque depois eu me remexo muito!!!" E te vi como os lêmures do Madagascar!!! kkkkkkkkk
Beijos

Ana do Chá e Viagens disse...

Oi Ingrid, sempre estamos na busca do ideal, mas qual? o melhor da vida é aproveitar peqnos momentos, aqueles que nada nem mesmo a mais alta cédula possa comprar.

Adorei o post, as fotos e concordo muito com tudo que disse:
-Levar Felicidade, traz Felicidade!

Abraços
Ana
www.viajaretudibom.blogspot.com
www.anaeguto.blogspot.com

Deia disse...

Ingrid, você tocou em um ponto importante: ser feliz é trazer a felicidade ao outro, ainda que dela não desfrutemos diretamente... O fazer feliz porque queremos o bem, na sua forma mais simples. E a sensação é de plenitude. Felicidade em estado sólido, quase podemos colocar as mãos, não é? Gostei de tudo no seu texto, mas me emocionei demais com a sua conclusão... Um beijo bem querido, Deia.

Suzi Kluwe disse...

Ingrid!
A felicidade está na doação! Quando nos doamos, sentimos que o coração pulsa e nos faz melhor.
Dar um pouco de si parece tão pouco mas revitaliza a alma, o coração!!
Adorei o teu texto!! beijos
Suzi

Socorro Melo disse...

Oi, Ingrid!

Um belo post! Quantas coisas maravilhosas, que são motivos de felicidade, estamos vendo nessa blogagem hoje. E que bom saber que todos nós pensamos de forma parecida, valorizamos as mesmas coisas, e entendemos que felicidade não se compra. Esse seu exemplo de doação é maravilhoso, pois, eu acho que é um dos mais nobres do ser humano, poder contribuir para a felicidade do outro, e com certeza, a surpresa de se sentir mais feliz é o melhor resultado.

Seja muito feliz!
Socorro Melo

Nilce disse...

Oi Ingrid

Envolver-se na ajuda ao próximo sempre nos trará muita felicidade. Damos tão pouco e recebemos tanto em amor, carinho e sorrisos.

Adorei tudo o que te faz feliz. A felicidade está tão próxima e só deixar ela chegar.
Fotos maravilhosas, menina!

Bjs no coração!

Nilce

Amica Philosophiae disse...

Olá Ingrid
É verdade, acho que sairmos de nós mesmos tb nos traz felicidade.
Um abraço
Cynthia

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Ingrid. Tive umas correrias no fim de semana e venho aqui comentar com mto atraso, me desculpe! rs.

Mas gostei mto do texto. Eu tb faço trabalho voluntário. Ajudo crianças e adultos da comunidade brasileira em orientação psicológica e arrecado donativos para os que estão em dificuldade financeira (por causa da recente crise). Isso é retribuição de tanta coisa boa que a vida nos dá né. E felicidade é tudo isso que vc falou, coisas do dia a dia.

bjs e boa semana pra vc e os seus

Claudia disse...

Oi Ingrid
Adorei o post. Muito bom mesmo!
Otima viagem, aproveita!!
Bjks

http://blogdaclauo.blogspot.com/

Geovana disse...

oi querida nossa que post lindo, amei teus itens de felicidade se é que da pra chamar de item né...
Me identifiquei com muitos deles, a minha felicidade é meus filhos, marido, mãe, irmãos e a Sandy hehehe...beijocas e boa estrada, se cuidem!

Anônimo disse...

Identificação total...Gostei da parte de puxar assunto com alguem enquanto esperamos o onibus ( quantas conversas preciosas nasceram ali!) e tambem, entre tantas coisas, o que colocaste de estarmos em um momento que poder ter tempo para si, seja para fazer um minuto de silencio já é dificil, imagina para os outros...MAs pessoas como nós geralmente encontram tempo para ouvir os outros e senao cuidarmos o olhar para si fica como bem secundário! Esse ano foi bem bom para cuidar de mim! E com amigas especiais perto, como tu! Abraços Angel

Juliana Dalzoto disse...

Olha eu de novo aqui!!!!
Tem selinho pra ti lá no blog viu?!

Beijocas
Ju

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...